sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

(barreira linguística) Para turista, comprar passagem aérea no Brasil é "pesadelo"

(...)"Eles te dizem que você precisa ligar para um centro de autorização e dão um número brasileiro sem o código da cidade ou do país. Eu consegui descobrir a cidade, liguei, esperei por algum tempo e fui atendido por uma pessoa que não falava inglês. Então, desisti."(...)


27 de Dezembro de 2013•

Para turista, comprar passagem aérea no Brasil é "pesadelo"

Se você não tiver um cartão de crédito brasileiro, o seu cartão é rejeitado", diz Jonathan Richards
Foto: Arquivo Pessoal / BBCBrasil.com
BBCBrasil.com
Perguntado a respeito de sua experiência comprando passagens aéreas no Brasil, o consultor de finanças americano Jonathan Richards não tem dúvidas: "é um pesadelo". No Brasil há duas semanas, ele visita o país regularmente para encontrar amigos e diz já ter tido diversos problemas em sites de linhas aéreas brasileiras.

"Tentei o site da TAM há três anos e não era feito para estrangeiros. Para para esta viagem, tentei usar a Gol. Eles permitem dão a opção de comprar um passaporte, mas se você não tiver um cartão de crédito brasileiro, o seu cartão é rejeitado", disse à BBC Brasil.

"Eles te dizem que você precisa ligar para um centro de autorização e dão um número brasileiro sem o código da cidade ou do país. Eu consegui descobrir a cidade, liguei, esperei por algum tempo e fui atendido por uma pessoa que não falava inglês. Então, desisti."


leia mais

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Idioma lidera queixas de estrangeiros que trabalham no interior paulista

22/12/2013
Falta do domínio do inglês pelos brasileiros é principal dificuldade.
Simpatia dos brasileiros e serviço doméstico são apontados como positivos.
Isabela Leite
Do G1 Campinas e Região


Vista aérea de Campinas, cidade citada no estudocom estrangeiros (Foto: João Mauricio Garcia/G1)

A maioria dos executivos estrangeiros que trabalham no interior paulista encontrou dificuldade com a língua nativa e com o domínio do inglês fora das empresas, além de problemas em serviços e infraestrutura nas cidades onde foram alocados. Os dados são de uma pesquisa feita pela PwC, empresa de auditoria e consultoria tributária, após entrevistas com funcionários de multinacionais das regiões de Campinas (SP), Sorocaba(SP), Ribeirão Preto (SP) e São José dos Campos (SP). A falta segurança e transporte público eficiente também foram destaque no estudo.
De acordo com informações do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), de janeiro até junho de 2013, foram concedidas 11.380 autorizações de imigração a estrangeiros no estado de São Paulo, sendo os principais países de origem Estados Unidos (16%), Alemanha (8%), Japão (6%), Portugal (6%), Espanha (6%) e Reino Unido (5%). No período, também foram concedidos 384 vistos ou residência permanentes. Considerando autorizações com vínculo empregatício a especialistas, administradores, diretores, gerentes e executivos com poderes de gestão, foram 1.856 profissionais no estado.

leia mais

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

(Handebol) Poliglotas, meninas falam de russo a macedônio: 'Uma torre de babel'

16/12/2013
Casada com um macedônio, Duda teve que aprender idioma na marra, assim como Alê, que atua na Áustria e fala alemão, Mayssa, que fala russo e mais três idiomas
Por Thierry Gozzer
Direto de Belgrado, Sérvia

A seleção brasileira terá um duro rival pela frente nas oitavas de final do Mundial de handebol. A rival desta segunda-feira, às 15h (de Brasília), na Arena Belgrado, será a Holanda, que eliminou a Rússia da fase de classificação para a competição. Dentro de quadra, porém, as meninas não contarão apenas com o talento para derrubar mais um oponente. Para vencer Dinamarca, Sérvia, e tendo como possíveis rivais adiante seleções como Montenegro, Noruega e França, o grupo brasileiro conta também com o idioma. É que as 16 meninas formam praticamente uma Torre de Babel, com jogadoras fluentes em várias línguas, eficientes quando o assunto é argumentar com a arbitragem e até mesmo provocar as adversárias. O GloboEsporte.com acompanha o duelo em Tempo Real.
A armadora esquerda Duda, por exemplo, é casada com um macedônio e fala fluentemente a língua local. Além disso, fala ainda húngaro, já que há quatro anos joga no Gyor Eto, da Hungria. Alexandra, jogando há dez anos na Áustria, é fluente no alemão, e assim, como melhor do mundo atualmente, se comunica com a imprensa europeia no Mundial. Mayssa, que joga na Rússia, arranha o idioma, mas também fala espanhol, inglês e francês. A armadora Karol, outra que atua na Europa, tem aprendido rapidamente o dinamarquês, já que joga no Tvis Holstebro.

leia mais

Futebol une estrangeiros em Arapongas

O texto abaixo indica claramente que o problema da barreira linguística mundial ainda não foi devidamente resolvido, e soluções paliativas como o uso de um idioma nacional como o inglês não ajudam a amenizar o problema da "Torre de Babel".
João
------------------------


Publicado em 20 de Dezembro de 2013
Futebol une estrangeiros em Arapongas
Atletas de quatro países contam o que acharam da cultura e dos costumes do Brasil
TNOnline
Carol Flores- Tribuna do Norte - Diário do Paraná


Há quem diga que o futebol tem um idioma próprio, que o ‘futebolês’ é universal. A prova disso é o mix de idiomas que se instalou em Arapongas desde o último domingo com início da International Cup, para jogadores da categoria sub 16. O torneio, promovido pelo Esporte Clube Laranja Mecânica, trouxe para cidades equipes de Dubai, Emirados Árabes, Marrocos e Azerbaijão. A comunicação se torna literalmente um desafio entre os atletas. Os jogadores do Marrocos, por exemplo, se comunicam em francês e em árabe. O técnico da equipe de Dubai tenta falar em italiano e alguns atletas arranham sem muito sucesso o espanhol, tudo isso misturado com os idiomas de origem.

Nessa mistura de línguas – e com ajuda de intérpretes – deu para perceber que os jogadores e comissão técnica estão encantados com o Brasil. Para a maioria, esta é a primeira vez que visitam o país. A diversidade cultural chama atenção dos visitantes, principalmente ao técnico da equipe de Dubai, Youssef Manai, que se declara apaixonado pela gastronomia brasileira. Há poucos dias no país, já virou fã do bolo de cenoura e do café brasileiro. “O café do brasileiro é o melhor do mundo, com bolo de cenoura então fica muito bom”, conta Manai que ainda destaca o clima local bem diferente da aridez de Dubai.

leia mais

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Desmond Tutu lamenta "exclusão" dos africâners do funeral de Mandela

Desmond Tutu lamenta "exclusão" dos africâners do funeral de Mandela
EFE

Johanesburgo, 18 dez (EFE).- O arcebispo emérito da Cidade do Cabo e ícone da luta pela igualdade e reconciliação, Desmond Tutu, lamentou a "exclusão" da comunidade africâner - descendente dos colonos centro-europeus na África do Sul - do funeral de Nelson Mandela, informou nesta quarta-feira o jornal "Beeld".
"A exclusão mais chamativa foi a da comunidade africâner. Os líderes religiosos cometeram um erro ao não incluir ninguém da Igreja Reformada Holandesa", disse o clérigo anglicano e velho amigo de Mandela, em comunicado ao jornal em língua africâner, sobre as cerimônias de despedida do ex-presidente,
"Cometemos o erro de não usar a língua africâner nos atos, exceto numas poucas frases na bênção final", acrescentou Tutu (...)
leia mais

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Deputados propõem lei que proíbe línguas estrangeiras no trabalho

14/12/2013 The Moscow News
Autores da lei criticam funcionários estrangeiros que não falam russo, causando “ressentimento” no local de trabalho.

Deputados propõem lei que proíbe línguas estrangeiras no trabalho

Se aprovada, lei obrigará colegas de trabalho a falar russo ou a língua oficial da região Foto: Press Photo

A comunicação em um idioma diferente do russo no trabalho poderá em breve ser proibida sob um projeto de lei proposto por dois parlamentares do Partido Liberal Democrático da Rússia (LDPR).
Os estrangeiros que trabalham no país muitas vezes não falam russo, apontam os deputados e autores da lei Ian Zelínski e Elena Afanassieva, o que pode levar a problemas no ambiente de trabalho. “Eles [os cidadãos estrangeiros] conversam entre si em sua língua materna durante o horário de trabalho, causando ressentimento nos demais”, disseram.

leia mais

sábado, 14 de dezembro de 2013

MEC considera incluir novos idiomas como opção no Enem

13/12/2013

Segundo o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, governo fará estudo para verificar demanda no exame para os idiomas francês, alemão e mandarim. Anúncio foi feito durante cerimônia de parceria com a França

MEC considera incluir novos idiomas como opção no Enem
Crédito: Shutterstock.com

Mercadante afirmou que se existir um volume significativo de estudantes que considerariam outra opção de idioma, existe a possibilidade de ampliar a oferta incluindo idiomas como o francês, o alemão e o mandarim

O governo brasileiro avalia a possibilidade deincluir outros idiomas, como o francês, o mandarim e o alemão, como opção na prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), de acordo com o ministro da Educação, Aloizio Mercadante. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (12), após evento com o presidente da França, François Hollande.

Atualmente, os candidatos à prova podem optar entre responder a questões de inglês ou espanhol. De acordo com Mercadante, o ministério fará um estudo para verificar a demanda dos estudantes por exame de francês no Enem.


Fonte: Universia Brasil

leia mais aqui

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Idioma romeno foi reconhecido língua oficial da Moldávia

Foto: Flickr.com/Aurelian Săndulescu/cc-by
O Tribunal Constitucional da Moldávia deliberou hoje que a língua oficial do país não é o moldavo mas o romeno.

O tribunal explicou essa decisão pelo fato de o texto da Declaração da Independência da República Moldava, que define o idioma romeno como a língua oficial da república, prevalecer sobre a Constituição da Moldávia, que indica o moldavo como o idioma oficial.

Uma interpelação solicitando examinar essa questão foi enviada a Tribunal Constitucional pelos partidos Liberal e Liberal-Reformador da Moldávia.

leia mais em:
http://portuguese.ruvr.ru/news/2013_12_05/Idioma-romeno-foi-reconhecido-l-ngua-oficial-da-Mold-via-2911/

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Moscou terá guia de transporte em cinco línguas para turistas

FATOS
Licitação para a produção do livreto está em andamento
25/11/2013
O Metrô de Moscou anunciou uma licitação para desenvolver um guia de transporte em cinco idiomas e facilitar a vida dos turistas estrangeiros na capital russa. O livreto será publicado em russo, inglês, francês, alemão e chinês e conterá mapas da cidade, o sistema completo das estações, bem como as rotas de bicicleta, as vias aquáticas e os caminhos de pedestres.

De acordo com as regras do concurso, que foi publicado no site de contratos do governo russo, além dos horários e rotas de todos os transportes públicos, o guia também deve fornecer informações sobre os principais pontos turísticos, parques e hotéis de Moscou, a fim de ser distribuído nas estações do metrô, nos aeroportos, nas estações de trem e em lojas de departamento.

O vencedor do contrato deve produzir cinco mil exemplares do guia em cada uma das cinco línguas e uma versão curta do projeto, em russo, no prazo máximo de 270 dias. Os concorrentes também terão de atualizar o documento a cada seis meses e criar uma versão do mesmo para smartphones.

A licitação vale 101 milhões de rublos, o que equivale a, aproximadamente, US$ 3 milhões, e o vencedor deverá ser anunciado no dia 19 de dezembro.

Fonte: Diário da Rússia em
http://www.diariodarussia.com.br/fatos/noticias/2013/11/25/moscou-tera-guia-de-transporte-em-cinco-linguas-para-turistas/

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Ministro finlandês quer ensino do idioma russo nas escolas do país

Diário da Rússia
CULTURA
Finlândia deverá destinar € 10 milhões para a proposta
25/11/2013

O Ministro da Cultura e dos Esportes da Finlândia, Paavro Arhinmaki, propôs que todas as escolas do país adotem o ensino do idioma russo. Ele afirmou que já esteve várias vezes na Rússia e observou que o conhecimento da língua contribui para a uma excelente formação das crianças em idade escolar.

Recentemente, a mídia da Finlândia deu amplo destaque à informação de que o governo destinou € 10 milhões, mais de R$ 30 milhões, a programas de incentivo ao estudo do idioma e da cultura da Federação Russa.

http://www.diariodarussia.com.br/cultura/noticias/2013/11/25/ministro-finlandes-quer-ensino-do-idioma-russo-nas-escolas-do-pais/

sábado, 23 de novembro de 2013

Monumento em homenagem ao esperanto em Campinas é reformado, preservando suas características

Após protestos, depois de ter enterrado parcialmente o monumento em homenagem ao 20° Congresso Brasileiro de Esperanto na praça Napoleão Laureano em Campinas, e Prefeitura de Campinas reformou devidamente a praça preservando as características originais do monumento.


Urbo-domo de Campinas eltombigas stelon de monumento. Gxi esta ZEO omagxe al Brazila Kongreso de Esperanto en:
Urgxa ago: urbo-domo vandaligas ZEOn em urbo Campinas (Brazilo) -Protestu
en

Português será "idioma para o futuro" no Reino Unido

O Português foi considerado como um dos 10 idiomas estrangeiros mais importantes nos próximos 20 anos no Reino Unido, segundo um estudo do instituto British Council, divulgou, esta quinta-feira, o Camões - Instituto da Cooperação e da Língua.

"Pela primeira vez, a língua portuguesa integra esta espécie de pequena lista das línguas consideradas 'vitais' num horizonte temporal de 20 anos, partilhando esse estatuto com o Espanhol, Árabe, Francês, Mandarim, Alemão, Italiano, Russo, Turco e Japonês", sublinhou o instituto português, num comunicado.


leia mais

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Google Tradutor para Android agora traduz conversas em tempo real

Postado por: Leandra Troyack em Notícias

O Google anunciou nessa quarta-feira (20) uma atualização para o seu aplicativo Tradutor no Android que promete traduções mais rápidas de discurso, suporte para mais línguas e uma nova interface de usuário.
Embora tenha sido uma atualização relativamente grande, a novidade mais interessante é a possibilidade de pessoas que falam línguas diferentes terem uma conversa traduzida em tempo real. Para isso, basta tocar no microfone do aplicativo e girar a tela para alternar entre os idiomas.

Conversas em várias línguas agora podem ser feitas com mais facilidade

A atualização também adicionou suporte de escrita para hebraico, javanês, e esperanto, permitindo que os usuários escrevam uma palavra ou caractere que não entendem na tela de seu smartphone ou tablet para terem tradução imediata.
leia mais

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Falta de inglês em Campinas trava negócios

Rede Bom Dia
20 NOVEMBRO
20/11/2013
Falta de inglês em Campinas trava negócios
Pesquisa mostra que executivos deixam de investir no Interior do Estado porque é falha a comunicação MARÍLIA ROCHA
marilia.rocha@bomdiarede.com.br

A dificuldade para obter documentos e a ausência de atendimento em inglês atrapalham o dia a dia da maioria dos executivos estrangeiros que vivem em Campinas, segundo pesquisa divulgada pela PwC Brasil. Travados na burocracia ou na incompreensão, muitas vezes homens de negócios fazem menos investimentos na região.

A PwC entrevistou mais de 300 estrangeiros de 13 países diferentes que residem no Brasil há pelo menos um ano, em Campinas, Ribeirão Preto, Sorocaba e São José dos Campos. Do total, 76% disseram não ter recebido assistência em sua língua ou no inglês em estabelecimentos comerciais, e 39% reclamou do prazo para receber documentos.

leia mais

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Empresas norte-americanas custeiam laboratórios de inglês em universidades brasileiras

Empresas norte-americanas custeiam laboratórios de inglês em universidades brasileiras
14/11/2013

Grupo de empresas norte-americanas irá custear a instalação de laboratórios de idiomas em 140 universidades brasileiras. O objetivo é preparar estudantes para concorrerem a bolsas do Ciências sem Fronteiras 


Empresas norte-americanas custeiam laboratórios de inglês em universidades brasileiras
Crédito: Shutterstock.com
O programa tem como meta a instalação de laboratórios em 140 universidades
 
Grupo de empresas norte-americanas irá custear laboratórios de idiomas em universidades brasileiras. A iniciativa, anunciada nesta quarta-feira (13), é uma parceria com o MEC (Ministério da Educação) e ocorre por meio do programa Inglês sem Fronteiras. Mais de 10 mil estudantes devem ser beneficiados.
 
 
 
Fonte: Universia Brasil

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

O inglês não vai decolar como língua universal, diz leitor

Idioma 13/11/2013 |

João Manoel Aguilera Junior, professor
Campinas (SP)
No editorial Língua universal (10/11) é citado como é difícil se comunicar em inglês em vários lugares do mundo, inclusive no Brasil, porque a maioria das pessoas não domina bem o idioma. Apesar do esforço e todo interesse econômico para que o idioma inglês seja considerado internacional, o objetivo fracassou. Um idioma com nacionalidade não pode ser considerado internacional. O esperanto (idioma sem nacionalidade), apesar de pouco divulgado proporciona um nível linguístico igualitário de comunicação. Agora, com novos países emergentes é que o inglês não decola. O esperanto é a solução mais racional e econômica para a comunicação mundial.

Fonte: site do Diário Catarinense em http://diariocatarinense.clicrbs.com.br/sc/diario-da-redacao/noticia/2013/11/o-ingles-nao-vai-decolar-como-lingua-universal-diz-leitor-4331288.html

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Brasileiros ficam em 38º no ranking de 60 países em conhecimento de inglês

05/11/13
Folhapress

Os brasileiros estão melhorando seu desempenho na língua inglesa, mas ainda continuam longe da proficiência ideal. É o que mostra um estudo da empresa de educação internacional EF Education First.


Apesar de não ser o ideal, Brasil melhorou desempenho; no ano passado, País era o 46º colocado
O Brasil aparece na 38ª posição do ranking de países proficientes na língua - a lista tem 60 nações. No ano passado, o País era o 46º colocado.

Suécia, Noruega e Holanda são os três primeiros países da lista. O Iraque aparece na última posição.

Para produzir o levantamento, a empresa avaliou gramática, vocabulário, leitura e compreensão de 750 mil adultos em 60 países.

leia mais
           

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Você sabia que no Brasil são faladas mais de 200 línguas?

Plenarinho - Câmara dos Deputados  01.11.2013


O Português é uma língua rica, resultado da contribuição e mistura de vários povos (Foto: Fluss/Creative Commons)

Hoje no Brasil existem cerca de 210 línguas. É o país com o oitavo maior número de línguas em uso!!! A maioria delas é das comunidades indígenas: 180! Você acha muito? É realmente muita coisa, mas na época do Descobrimento havia muito mais. Eram 1.078. Já pensou? Mas olha só, naquela época também existiam mais índios. Cinco milhões viviam no Brasil quando os portugueses chegaram. Hoje são apenas 734 mil indígenas.

A partir do ano de 1550, há um tempão, chegaram muitos negros vindos da África. Eles não vieram por vontade própria, chegaram como escravos, trazidos à força. A escravidão aconteceu até o ano de 1850, quando foi decretada a Lei Áurea pela princesa Isabel. Enquanto foi permitida, a escravidão trouxe para cá aproximadamente 3 milhões de africanos, muitas culturas e línguas.

leia mais

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Brasileiro é cortado da seleção sub-20 da Polônia por não falar o idioma local

Emprestado pelo Fluminense ao Legia Varsóvia, zagueiro Alan Fialho garante que tentará aprender polonês para buscar uma nova oportunidade na equipe do país
Postada em: 30/10/2013
Enquanto Diego Costa está cada vez mais próximo de defender a Espanha, outro brasileiro atraiu o interesse de uma seleção europeia. Ele só não teve a mesma sorte do atacante do Atlético de Madrid. Emprestado pelo Fluminense ao Legia Varsóvia, o zagueiro Alan Fialho foi chamado para um período de treinos com a equipe sub-20 da Polônia, mas foi cortado por um motivo: não falava bem o idioma local.

Após chamar a atenção do treinador da seleção sub-20, Jacek Zielinski, Fialho soube que foi convocado na noite de segunda-feira. No entanto, ao se apresentar na manhã seguinte, descobriu que não iria se juntar aos demais companheiros por não falar polonês.

leia mais

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Óculos inteligentes traduzirão japonês para qualquer idioma em Olimpíadas 20

Madri, 28 out (EFE).- Os estrangeiros que forem para Tóquio em 2020 para assistir aos Jogos Olímpicos disporão de óculos inteligentes, criadas pelo operadora móvel NTT Docomo, que serão capazes de traduzir o japonês para qualquer idioma.

Os óculos permitirão substituir os caracteres da língua japonesa por palavras em seu próprio idioma. O dispositivo funciona em tempo real, e quando o usuário olha um cartaz são enviados dados para que a tradução apareça sobreposta ao texto correspondente, informou o Think Big da Telefônica.

leia mais

Países lusófonos querem português como língua oficial da ONU

28 de Outubro, 2013

Os países lusófonos estão unidos no objectivo de tornar o português a 7.ª língua oficial da Organização da Nações Unidas (ONU), segundo as missões permanentes de Portugal e do Brasil na instituição.
O representante permanente de Portugal, Álvaro Mendonça e Moura, explicou à agência Lusa que existe "um esforço constante" e que "todos os parceiros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) estão empenhados em persistentemente defender e valorizar" o lugar da língua portuguesa na organização internacional.

O embaixador do Brasil, Guilherme de Aguiar Patriota, disse que "é uma prioridade para o Brasil a colaboração estreita com os países de língua portuguesa na ONU" e propõe "que a estratégia de disseminação [da língua] seja feita de modo gradual, uma vez que se trata de uma questão que envolve custos".


leia mais

domingo, 27 de outubro de 2013

Tradução é caminho para diálogo global

21/10/2013 -
Encontro promovido pela Biblioteca Pública da Arábia Saudita em São Paulo nesta segunda-feira (21) aponta a tradução como fundamental para integração do mundo. Foco da discussão foi idioma árabe.

Aurea Santos
aurea.santos@anba.com.br

Aurea Santos/ANBA

Vargens: tradução transcende limites
São Paulo – A tradução de obras de diferentes línguas é um dos principais caminhos para o diálogo entre povos de países distintos. Assim, é fundamental que os profissionais de tradução conheçam não só o idioma para o qual traduzem os textos, mas também a cultura e os costumes dos povos que irão lê-los. Estes foram alguns dos principais pontos destacados no Sexto Encontro de Diálogo – Questões de Tradução promovido nesta segunda-feira (21) pela Biblioteca Pública Rei Abdulaziz, da Arábia Saudita, em São Paulo.

O encontro faz parte das solenidades do Prêmio Internacional do Guardião das Duas Mesquitas Sagradas Rei Abdullah Bin Abdulaziz Al Saud para Tradução, que tem o brasileiro João Baptista de Medeiros Vargens, professor de Língua Árabe da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), como um dos ganhadores.

leia mais

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Prefeito Jonas Donizette recebeu cartas de protesto de várias partes do mundo

A notícia sobre o vandalismo da prefeitura de Campinas ao monumento em homenagem ao 20  Congresso Brasileiro de Esperanto, que fica na praça Napoleão Laureano (Botafogo) está correndo o mundo. Pelo menos 15 pessoas de diversas partes do mundo escreveram cartas de protesto ao Prefeito, contra o vandalismo e pedindo que o monumento seja recuperado.
Jonas Donizete recebeu cartas de Cuba, Rússia, Espanha, Belgica e Inglaterra e do Brasil.
Na quarta-feira, o "Correio Popular" publicou uma carta de protesto de um leitor da França (a carta foi traduzida pelo jornal para o português:

Monumento
Henri Masson
Aposentado, Moutiers Mauxfaits (França)

Como meus amigos brasileiros, fiquei chocado com o que ocorreu com o monumento dedicado ao Esperanto em Campinas (na Praça Napoleão Laureano, no Centro). Em 126 anos da história da língua, tais ações foram cometidas apenas por bárbaros, como os nazistas, que destruíram o monumento dedicado ao dr. Zamenhof, na cidade de Franzensbad (hoje Frantiskovy Lazne, na República Tcheca). Este imponente monumento de 5,50m foi destruído em 1938. Dizem que não houve má intenção, (…) mas é lamentável (...). Espero sinceramente que tudo esteja em ordem em breve. (Carta traduzida do francês)

Correio Popular publica carta de esperantista da França (sobre vandalismo no monumento)

Merkredon, la 23an de oktobro, estis publikigita trafa kaj oportuna reago de nia amiko Henri Masson (vidu sube)  en la gazeto Correio Popular de urbo Campinas (Brazilo)  pri la vandaligo al monumento (ZEO) omagxe al 20a Brazila kongreso de Esperanto kaj al Zamenhof, fare de urbo-domo.
Jen interesa sinteno de la gazeto kiu tradukis la reagon de Masson el la franca al la portugala kaj publikigis gxin... 
Certe ne estas ofte ke la gazeto ricevas reagojn el eksterlando...
Tre bone, Masson...
antauxen...
amike
Johano

Monumento
Henri Masson
Aposentado, Moutiers Mauxfaits (França)

Como meus amigos brasileiros, fiquei chocado com o que ocorreu com o monumento dedicado ao Esperanto em Campinas (na Praça Napoleão Laureano, no Centro). Em 126 anos da história da língua, tais ações foram cometidas apenas por bárbaros, como os nazistas, que destruíram o monumento dedicado ao dr. Zamenhof, na cidade de Franzensbad (hoje Frantiskovy Lazne, na República Tcheca). Este imponente monumento de 5,50m foi destruído em 1938. Dizem que não houve má intenção, (…) mas é lamentável (...). Espero sinceramente que tudo esteja em ordem em breve. (Carta traduzida do francês)

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Urbo-domo de Campinas eltombigas stelon de monumento. Gxi esta ZEO omagxe al Brazila Kongreso de Esperanto


Post protestoj de esperantistoj de diversaj partoj de la mondo kaj post raporto kiu aperis en la loka gazeto de urbo Campinas "Correio Popular" la lastan dimancxon, 20an de oktobro 2013, la urbo-domo de urbo Campinas (Brazilo) decidis retaksi la projekton de reformo de placo Napoleão Laureano kie staras la monumento  (ZEO Zamenhof/Esperanto-objekto)  kiu konsistas el stelo konkreta sur la grundo kaj obelisko omagxe al la 20a Brazila Kongreso de Esperanato, inauxgurita la 14an de julio 1994.
Cxi monate, la urbo-domo mem, okaze de reformo en la placo tute entombigis la stelon 50 centimetrojn sub la grundo. La obelisko ankaux estis parte entombigita. Tio cxi estas vere vandaligo.
Sur la unua foto, vi povas konstati ke hodiaux (la 22an de oktobro), la stelo jam estis elterigita (laboristoj de la urbo-domo laboras nun pri la monumento).
La stelo jam estas parte videbla jam kiel vi povas konstati sur la bildo  Sur  la dua foto estas la iloj de la reformistoj cxe la obelisko.
 Laux informoj de laboristo Jairo, la monumento restos en la sama lokokaj gxuste kiel antaxe en la originala projekto. Estis alternativo translokigi la monumenton en alian lokon de la sama placo sed la urbodomo decidis ke la monumento restos en la
sama loko).
Certe se ne estus protestoj pri la la stelo entombigita eble post multaj jaroj arkeologoj trovus gxin sub la grundo.
Sur la tria bildo vi povas konstati detalon de la obelisko kiu estas malbone konservita fare de la urbo-domo de Campinas.
La monumento ofte suferas pro la atakoj de vandaloj, sed estis la unua fojo ke la urbo-domo mem vandaligis la monumenton per enterigo de parto de gxi.
Ni kore dankas al esperantistoj de diversaj partoj de la mondo kiuj skribis protest-mesagxojn al la urbestro de Campinas, Sro. Jonas Donizetti. Certe la urbestro konsciis pri la graveco de la problemo kiam li ricevis protest-mesagxojn el Kubo, Rusio, Hispanio, Belgio kaj Francio. Entute 14 homoj sendis kaxsitan kopion de la mesagxo al mi. Inter ili neniu brazilano sendis al mi kopion.
amike
Johano

domingo, 20 de outubro de 2013

Há 250 línguas ameaçadas na Europa e metade vai desaparecer em duas gerações

Cultura & Lazer 20 Out 2013,

Mais de metade das 250 línguas minoritárias na Europa vão desaparecer no espaço de uma a duas gerações, concluíram cerca de cem investigadores, presentes no Congresso Internacional sobre Línguas Ameaçadas, que se realizou este sábado, 19 de Outubro, em Minde.

"Estão identificadas 250 línguas ameaçadas em toda a Europa e, a cada duas semanas, há uma que desaparece, quando se perde o último falante", disse à agência Lusa a presidente do Centro Interdisciplinar de Documentação Linguística e Social (CIDLeS), Vera Ferreira, que organiza o congresso.

"Em todo o Mundo existem 6700 línguas e vamos perder mais de metade dessas línguas no espaço de uma a duas gerações. Identificá-las, estudá-las, preservá-las e divulgá-las é o que nos move, enquanto comunidade científica preocupada em intervir e defender a paleta da pluralidade linguística mundial", advogou.

O Centro Interdisciplinar de Documentação Linguística e Social, com sede em Minde, Alcanena, organizou o primeiro congresso dedicado a línguas ameaçadas na Europa (ELE 2013 - Endangered Languages in Europe), que reúne, desde quinta-feira, cerca de uma centena de investigadores e linguistas de todos os países europeus e dos "quatro cantos do Mundo", da Austrália ao Gana, Sri Lanka, Uganda e Nepal, para debaterem e partilharem o estado actual e o futuro das línguas ameaçadas e minoritárias.

"Foi o primeiro Congresso realizado nestes moldes em toda a Europa, e foi um sucesso, desde logo com o cruzamento da informação trabalhada a este nível, em todo o mundo, e aferir aquilo que se faz, não se faz, ou se pode fazer para preservar as línguas minoritárias", disse a linguista à agência Lusa.

"Uma das conclusões do congresso é sobre a importância premente de investir na tecnologia da linguagem e na linguística documentacional, ou seja, como tratar e desenvolver material didáctico e de investigação", apontou.

"É importante dar condições e meios à comunidade falante para preservar, divulgar e ensinar a língua ameaçada, desenvolvendo métodos, técnicas e tecnologias da linguagem para chegar aos jovens em ambiente escolar - no nosso caso ensinando o minderico", defendeu.

O minderico, ou Piação dos Charales do Ninhou (língua dos habitantes de Minde), está hoje sob a ameaça de extinção, apresentando uma comunidade de mil falantes passivos, 250 falantes activos, 25 dos quais fluentes e dez não falantes, numa população total de 3293 habitantes.

"É uma língua claramente ameaçada", notou Vera Ferreira, tendo referido que o minderico está a ser alvo de alguns projectos de revitalização, através de aulas para as várias faixas etárias, formação contínua de professores, criação do primeiro dicionário bilingue acompanhado de uma versão multimédia, ou a utilização do minderico em festas, ementas, placas e preçários da vila.

O Congresso organizado pelo CIDLeS, fundado em 2010 por um grupo de investigadores e linguistas, resultou em convites para estabelecimento de parcerias com várias universidades europeias.

"O ELE [congresso] permitiu a criação de 'pontes', e esta iniciativa vai continuar, talvez já em 2014, com projectos e convites de parcerias solicitados por várias universidades europeias, [entre as quais] a universidade de Toulouse, França, a universidade de Vigo, em Espanha, e a SOAS [School of Oriental and African Studies], da Universidade de Londres, que estuda essencialmente as línguas ameaçadas no continente africano", revelou Vera Ferreira.

O ELE 2013 encerra esta noite com a realização de um Festival de Bandas de Línguas Ameaçadas, na Fábrica da Cultura de Minde, no concelho de Alcanena, em que participam projectos representando as línguas nativas de seis países.




http://www.omirante.pt/noticia.asp?idEdicao=&id=65631&idSeccao=422&Action=noticia#.UmP45PmkqJM

sábado, 19 de outubro de 2013

Urgxa ago: urbo-domo vandaligas ZEOn em urbo Campinas (Brazilo) -Protestu

                Urbo-domo de urbo Campinas (Brazilo) jxus vandaligis ZEOn (Zamenhof/Esperanto-objekto) okaze de reformo en placo kie estas monumento (obelisco kaj stelo) omagxe al la 20ª Brazila Kongreso de Esperanto (inauxgurita em jaro 1984).
                La monumento konsistas el du partoj:  la stelo konkreta kiu kusxis sur la planko kaj la obelisko sur kiu estas afisxitaj  tri sxildoj: 1) la bildo de Zamenfof, 2) nomo kaj informetoj pri Zamenhof 3) informo ke la obelizko estas omagxe al la 20ª Brazila Kongreso de esperanto kaj ke la obelisko estis inauxgurita la 14an de julio 1984 (naskigxdato de Campinas) kaj koncinde unu el la kongresaj tagoj.
KIEL OKAZIS LA VANDALIGO
                Okaze de reformo en la placo Napoleão Laureano em kvartalo Botafogo em Campinas, reformistoj sub gvido de urbo-domo tute enterigis la stelon (gxi esta nun sub la grundo!) per tavolo de cxirkaux 50 centimetroj de tero. Tiel la obelisko igxis malpli impona (gxi aspektas pli malgranda).
                Tio cxi esta sendube granda malrespekto al la kultura memoro de la urbo, al historia posedajxo  kaj atako al la monda esperantista komunumo fare de la urbo-domo de Campinas.
                Ni povas diri ke esperanto em Campinas estis enterigita. Alia aspeekto grava: post na starigo de la tera monteto, maleblas alproksimigxi de la obelisko por legi la informojn sur la sxildoj.
                Paradoksa esta la fakto ke la monumento estis starigita sub la ausxpicioj  de la sama urbo-domo en jaro 1984.
                                                        URGXA AGO
                Se vi ne konsentas pri la vandaligo de la monumento omagxe al la 20ª Brazila Kongreso de Esperanto, fare de urbo-domo Campinas, bonvolu helpi nin: sendu protestajn mesagxojn al la urbestro kaj petu ke la monumento estu malenterigita kaj ke gxi estu kiel antaxue.
Urbestro de Campinas, Sinjoro Jonas Donizette
Ret-adreso: gabinete.prefeito@campinas.sp.gov.br gabinete.prefeito heliko campinas.sp.gov.br
bonvolu sendi kasxitan kopion al ribelulo@ig.com.br  ribelulo heliko ig.com.br
Se vi preferas, vi rajtas uzi la suban  modelon em la portugala lingvo:

               
Sr, Prefeito Jonas Donizete:
Fiquei indignado quando vi que Prefeitura tinha enterrado uma parte do monumento junto a  um obelisco em homenagem ao 20o Congresso Brasileiro de Esperanto.
O obelisco está situado na Praça Napoleão Laureano (Botafogo) em frente
da Rua Delfino Cintra, nas imediações da faculdade S. Leopoldo Mandic.
Na obra de remodelação da praça, houve um vandalismo ao monumento por parte da Prefeitura: uma estrela de concreto que estava na chão junto ao obelisco foi enterrada. Com o aterro, o obelisco ficou com a impressão de ser pequeno.
A História de Campinas e do movimento esperantista foi enterrado e ultrajada em Campinas.
Este monumento foi inaugurado em 14 de julho de
1984 (data de aniversário de Campinas). O referido obelisco foi criado com o apoio da Prefeitura de Campinas para homenagear o Congresso de Esperanto que teve como patrono o então prefeito Magalhães Teixeira.
Aquela estrela que estava no chão servia como uma espécia de molde de jardim onde grama deveria ser plantada (a grama é verde, a cor símbolo do esperanto). Com o monte de terra agora em torno do monumento é quase impossível para as pessoas se aproximarem para ler o que está escrito nas placas do obelisco.
Sr. Prefeito, faço um apelo para que o monumento seja desenterrado, e que volte como era antes em nome da preservação da história, da cultura e do patrimônio cultural do povo de Campinas  e da comunidade internacional dos falantes do idioma  esperanto.
A cidade de Campinas ficará conhecida mundialmente (negativamente) por ter enterrado um monumento em homenagem ao esperanto.
Estou certo que o S.r tomará as providências para que este erro terrível seja corrigido.
Atenciosamente,
Nomo
profesio
Adreso
Ret-adreso: 
--------------------------------------
Jen la placo okaze de la inauxguro: la stelo sur la grundo estis malantaux la sinjorino
----------------------------------------------------


terça-feira, 15 de outubro de 2013

Línguas ameaçadas juntam-se em Minde

DEBATE
por LusaHojeComentar

Investigadores de todo o mundo vão estar em Minde e em Alcanena entre quinta-feira e sábado para debaterem os estudos, o estado atual e o futuro das línguas minoritárias na Europa.
O evento internacional sobre Línguas Ameaçadas na Europa (ELE 2013 - Endangered Languages in Europe), o primeiro desta natureza realizado no continente europeu, é promovido pelo CIDLeS - Centro Interdisciplinar de Documentação Linguística e Social, com sede em Minde, e promete apresentar mais de setenta comunicações por parte de 90 investigadores oriundos de todos os continentes.
Com um orçamento de 27 mil euros, a iniciativa vai englobar três atividades de cariz científico e sócio cultural, ao longo dos três dias, nomeadamente uma conferência internacional dedicada à reflexão sobre as línguas ameaçadas no continente europeu, a decorrer no Centro de Ciência Viva do Alviela - Carsoscópio, nos dias 17 e 18 de outubro.
Nas noites de sexta-feira e de sábado decorrerá o Festival de Bandas de Línguas Ameaçadas, na Fábrica de Cultura, em Minde, que contará com a presença de seis bandas modernas da Galiza, País Basco, Bretanha e País de Gales, Escócia, Minde e Baviera (Alemanha), com a particularidade de as bandas e artistas convidados interpretarem os temas nas suas línguas nativas.
No dia 19 de outubro, sábado, durante todo o dia, na Fábrica de Cultura em Minde, vai decorrer a Feira das Línguas - um encontro multicultural e multilingue entre investigadores, público em geral e comunidades europeias de línguas minoritárias, e onde 11 comunidades de diferentes partes da Europa apresentarão as suas línguas ao público através de stands e/ou performances culturais.
Em declarações à agência Lusa, Vera Ferreira, linguista e presidente do CIDLeS, disse que o objetivo é estimular um debate interdisciplinar acerca da diversidade linguística na Europa, tendo como ponto de partida as línguas ameaçadas no velho continente, do qual a língua minderica, de Minde, mas também o mirandês e o barranquenho são exemplos em Portugal.
fonte:
http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=3477760

domingo, 13 de outubro de 2013

Petição: ensinem esperanto às crianças de todo mundo

Por isso é importante

Cidadãos do mundo precisam saber que a língua internacional, o Esperanto é justo a todas as nações para a compreensão, cooperação, comércio, amizade e pode ajudar a trazer a paz ao mundo. O melhor momento e maneira de adquirir este é ensiná-la às crianças da escola primária por seus professores regulares. Isso só pode acontecer se os professores e os pais conhecem os benefícios para os seus filhos e para o mundo do aprendizado do esperanto. Então, eles precisam conhecer as propriedades de Esperanto que trará esses resultados.

domingo, 6 de outubro de 2013

Dialeto próprio atravessa gerações em São João Nepomuceno, MG

Falta de registros e documentações ameaçam preservação do dialeto.
Termos da língua inventada se misturam com o português no dia a dia.
Nathalie Guimarães
Do G1 Zona da Mata



Língua inventada usa termos diferentes para
confundir (Foto: Fellype Alberto/Divulgação)

A pergunta "Cataguais, godê computá zambão?” não faz sentido para a maioria dos mineiros, mas para grande parte dos moradores de São João Nepomuceno, na Zona da Mata, a frase quer dizer “Rapaz, você está 'bão'?”. Essas palavras são apenas algumas do extenso vocabulário da língua "Pompeu e Godê", inventada no município na década de 60. Apesar de ter passado de geração para geração e muitas expressões terem se incorporado naturalmente ao modo de falar cotidiano, o dialeto popular corre o risco de se perder por falta de registros e documentações sobre o assunto.
A base da formação do dialeto é a criação de novas palavras com terminação que, geralmente, rima com a respectiva palavra em português. Pompeu e Godê, por exemplo, pode ser traduzido como “eu e você”. Além disso, usa-se palavras com final parecido mas significado diferente: “carro” é “catarro”, 2 é “arroz” e 8 é “biscoito”. E alguns termos têm significado próprio, como falar “mereja” ao invés de cerveja, "barai" para dizer vai e "escalá" para falar.

Leia mais

Angola: “O uso das línguas nacionais nesta Rádio é de grande importância”

NOTÍCIAS
06-10-2013
O facto da Rádio Nacional de Angola transmitir informações em várias línguas nacionais, contribui para que todos os angolanos usufruam do direito de estar informado, apurou a RNA.
A afirmação é do embaixador Luís Neto Kiambata, que salientou que o uso das línguas nacionais através dos meios de comunicação social consolida a unidade, amizade, solidariedade e bem-estar.

“Creio que as informações que vêm do desempenho da rádio, são a prova mais evidente de que o público está bem servido. Melhoramos os serviços e levamos a todos as províncias, municípios, o fruto nas línguas nacionais, o que interessa, porque Angola é um país com 7 ou 8 línguas principais, 72 dialectos, 15 grupos étnicos e todos têm que conhecer a realidade do país. O uso das línguas nacionais nesta Rádio é de grande importância, para manter a unidade nacional, a amizade, a solidariedade e o bem-estar social”, afirmou.


Fonte:
http://www.rna.ao/canalA/noticias.cgi?ID=79147

sábado, 5 de outubro de 2013

Ministros da América do Sul e dos países árabes promovem ensino comum de seus idiomas

04 de Outubro de 2013

O ensino do árabe nas nações sul-americanas e do espanhol e português em países árabes foi considerado uma meta nesta sexta-feira em Lima pelos ministros da Educação de ambos os blocos, como uma forma de aproximar ambas as regiões.

A decisão foi adotada na II Reunião de ministros da Educação da América do Sul e dos Países Árabes (ASPA), que em seus dois primeiros dias, quarta e quinta-feira, foi realizada por especialistas em educação.

No dia final do encontro, que teve a participação de ministros árabes e sul-americanos, foi aprovada a proposta de promover a aprendizagem dos três idiomas por meio da criação de centros de estudos, informou a ministra da Educação do Peru, Patricia Salas.

A secretária-geral adjunta da Liga dos Estados Árabes, Faeqa Alsaleh, destacou a importância deste acordo ao ressaltar que com o ensino dos idiomas, as distâncias geográficas serão encurtadas.

"Temos semelhanças em questões culturais com as nações sul-americanas e queremos ter uma ligação maior por meio do idioma", ressaltou a representante árabe.

A ideia é criar centros de estudos para o ensino dos idiomas nas universidades em uma primeira etapa.

Os ministros estabeleceram também a criação da Rede Educativa e Científica conjunta do bloco ASPA para a troca de informações em temas de educação.

AFPAFP - Todos os direitos reservados. Está proibido todo tipo de reprodução sem autorização.




http://noticias.terra.com.br/mundo/oriente-medio/ministros-da-america-do-sul-e-dos-paises-arabes-promovem-ensino-comum-de-seus-idiomas,f47f6b45a3481410VgnCLD2000000dc6eb0aRCRD.html

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

(vídeo) Auto-falante traduz até 25 idiomas em tempo real

2 de outubro de 2013 às 18:02

Este pequeno auto-falante pode revolucionar a vida de muita gente. Pequeno o suficiente para ser segurado entre dois dedos, fica conectado ao smartphone do usuário via bluetooth.

Basta dizer uma frase em sua língua nativa e o Sigmo a repetirá na língua que você selecionar em seu smartphone. O aparelho também vem com um aplicativo que utiliza um software de reconhecimento de voz para converter frases faladas em texto.



A novidade está sendo financiada pelo site de crowdfunding Indiegogo e pode ser adquirida por interessados em qualquer lugar do mundo. Basta contribuir com US$ 50 na página de captação do site.


sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Península Ibérica: Sindicatos contra maquinistas espanhóis na Linha do Minho por questões de segurança

A formação em português prevista pela Renfe para estes profissionais será "insuficiente", em função das necessidades de comunicação dos maquinistas, nomeadamente em caso de emergência, situações que requerem "fluidez no domínio" da língua
A Confederação Geral do Trabalho (CGT) de Espanha pediu ao Ministério do Fomento para não aceitar colocar maquinistas espanhóis a operarem comboios em Portugal, face aos problemas da língua e às condições de segurança na Linha do Minho.

O pedido consta de uma carta enviada por aquela intersindical espanhola ao ministério que tutela os transportes de Espanha, à qual a agência Lusa teve hoje acesso, e surge na sequência da formação em língua portuguesa que a transportadora pública Renfe está a assegurar a 64 maquinistas e cobradores da empresa.

O objetivo é fazer com que estes profissionais passem a assegurar o serviço do comboio direto Porto-Vigo (Galiza) - que é operado desde 02 de julho em conjunto com a CP -, também no trajeto em Portugal, evitando assim a troca de equipas que acontece em Valença, em ambos os sentidos.

Neste ofício, enviado em setembro ao ministério do Fomento, aquela intersindical, através do Setor Federal Ferroviário, recorda que a circulação na Linha do Minho, no troço entre Valença, Viana do Castelo e Nine, é feita "em condições de segurança muito mais degradadas do que as habituais em Espanha".

Trata-se do único troço (cerca de 90 quilómetros) daquela linha ainda por eletrificar e modernizar, existindo o compromisso do Governo português de o fazer até 2016.

Assim, a circulação está "totalmente dependente do maquinista do comboio e do pessoal português" que a regula, sublinha a CGT.

Aponta que neste troço "não há um sistema de segurança [automático] que trave o comboio, caso não seja respeitado pelo maquinista um sinal ordenando a redução de velocidade", que toda a segurança depende de processos manuais e que as comunicações entre as estações e as composições são feitas por "rudimentares chamadas telefónicas".

Somando à "precária segurança", a CGT recorda o facto de em Portugal ser aplicada - além de um sistema de segurança igualmente distinto do espanhol -, uma normativa de circulação diferente, editada em português, que pode não ser totalmente compreendida pelos profissionais espanhóis.

"Tudo se complicará numa situação de emergência, com a intervenção de diferentes organismos portugueses ferroviários e civis, com regulamentos e protocolos que desconhecemos, num país com uma língua diferente", lê-se ainda na carta.

Acrescentam que a formação em português prevista pela Renfe para estes profissionais será "insuficiente", em função das necessidades de comunicação dos maquinistas, nomeadamente em caso de emergência, situações que requerem "fluidez no domínio" da língua.

Aquela intersindical pede assim ao Governo espanhol para não aceitar este modelo, que "supõe uma redução considerável dos padrões de segurança", mantendo antes a atual operação dos comboios diretos entre Vigo e Porto com profissionais das duas empresas.

*Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico aplicado pela Agência Lusa

http://www.ionline.pt/artigos/portugal/sindicatos-contra-maquinistas-espanhois-na-linha-minho-questoes-seguranca

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Agência da Caixa em Nova Veneza conta com placas de indicação interna em três idiomas

  A agência da Caixa Econômica Federal da capital mundial da Polenta já está com suas placas de indicações interna em tri língua, ou seja, em português, italiano e no dialeto vêneto. A Caixa tem somente duas agências no Brasil em bi língua, uma Blumenau em português e alemão e outra em Marília no estado de São Paulo em português e japonês. A de Nova Veneza é a única no Brasil em tri língua. Iniciativa foi do Nicola Gava através do projeto “Bauco Ma No Tanto” com apoio da gerência de Nova Veneza e direção geral da CEF.

Vejam fotos da agência

Três milhões de brasileiros fazem cursos de idiomas online

Entre os 25 países com mais usuários, o Brasil fica em primeiro lugar.
Escolas tradicionais também têm lançado plataformas para a internet.
Janaína Lepri
São Paulo, SP
Não adianta mais culpar a falta de tempo ou a grande oferta de cursos apenas em inglês. Hoje, fazer cursos de idiomas está muito mais fácil, por causa da internet. Por isso, já faz um tempo que a estudante Ariane Costa deixou para trás o verbo "to be" e companhia. Ela partiu para um idioma que intimida até quem faz aula particular com professor: o alemão.
Hoje, outras três milhões de pessoas no Brasil usam essa mesma plataforma e aprendem doze línguas diferentes, incluindo russo, chinês, japonês e árabe. Entre os 25 países com mais usuários, estamos em primeiro. A cada dia, três mil novos alunos se registram no portal.
Leia mais

Edward Snowden se aplica no aprendizado do idioma russo

INTERNACIONAL
Ex-agente da CIA aguarda a chegada dos pais a Moscou
25/09/2013
O ex-agente dos serviços secretos dos Estados Unidos asilado temporariamente na Rússia, Edward Snowden, está aprendendo bem a língua do país e aguarda ansiosamente a chegada de seus pais, segundo informou na terça-feira, 24, o advogado do norte-americano, Anatoli Kucherena.

O representante de Snowden disse que mantém contato regular com seu cliente, bem como com o pai de Edward, Lon Snowden, "cujos documentos estão passando pelos trâmites necessários para sua viagem à Rússia”. Segundo Kucherena, que luta para que o reencontro familiar aconteça o mais rápido possível, o ex-agente da CIA precisa do apoio familiar.

Apesar de seu paradeiro não ser revelado por motivos de segurança, os pais de Edward Snowden enviam cartas ao filho regularmente. O advogado garantiu que o norte-americano passa bem, dizendo que "ele é bastante sagaz, capta tudo rapidamente e aprende rápido o idioma russo".

http://www.diariodarussia.com.br/internacional/noticias/2013/09/25/edward-snowden-se-aplica-no-aprendizado-do-idioma-russo/

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Universidade investe no ensino de português

Joselina Reis

O Brasil está na mídia e isso está despertando a curiosidade do público pelo ensino do português. A Universidade de Delaware é mais uma a investir no idioma como curso alternativo para os alunos. Com isso, surge mais uma opção de trabalho para os brasileiros que moram nos Estados Unidos: a de professor de português.

A jornalista brasileira Daiane Tamanaha formada em jornalismo pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, comemora o investimento no idioma por parte das instituições americanas. Ela já está em seu segundo contrato, o primeiro foi com a Universidade de Princeton, ensinando seu idioma para americanos que esperam incrementar seu curriculum no mercado de trabalho e para pessoas que querem aprender a se comunicar com a comunidade brasileira. “Maioria tem um objetivo em aprender o português. Eles estão de olho no crescimento do Brasil e por que não pensar que um dia possam precisar do português para aumentar suas chances de empregabilidade?”, lembra.

Leia mais

O português conquistou a Internet, agora quer ser língua oficial nas organizações internacionais

ANA DIAS CORDEIRO  20/09/2013 -
Terceira nas redes sociais e nos negócios de gás e petróleo, a língua portuguesa é a quinta mais falada na Internet. A 2.ª Conferência sobre o Futuro da Língua Portuguesa no Sistema Mundial realiza-se no fim de Outubro em Lisboa.

“A língua portuguesa já não é apenas a língua dos povos da CPLP", diz a presidente do Instituto Camões Ana Paula LaborinhoMIGUEL MANSO

Língua Portuguesa
A difusão da língua portuguesa entrou num “novo patamar” – passou de um objectivo centrado na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) para se projectar além-fronteiras. A ambição é também outra quando o Instituto Camões, a CPLP e um conjunto de universidades portuguesas se juntam na organização de uma conferência em Lisboa para desbravar caminhos no sentido da "difusão do português como língua internacional”. “A língua portuguesa já não é apenas a língua dos povos da CPLP", diz Ana Paula Laborinho, presidente do Instituto Camões.

O mote está assim lançado para a 2.ª Conferência Internacional sobre o Futuro da Língua Portuguesa no Sistema Mundial, que se segue à 1.ª Conferência de 2010 em Brasília. O evento vai juntar em Lisboa dezenas de importantes académicos e especialistas da língua portuguesa, nos dias 29 e 30 de Outubro. E vai anteceder reuniões políticas e um conselho dos ministros dos Negócios Estrangeiros da CPLP durante o qual será adoptado um Plano de Acção de Lisboa – à semelhança do Plano de Acção de Brasília que em 2010 definiu a internacionalização da língua portuguesa como objectivo comum dos países lusófonos. O programa da 2.ª conferência foi ontem apresentado aos jornalistas na sede da CPLP em Lisboa.

“O esforço de promoção da língua portuguesa entrou num novo patamar depois dos esforços de promoção interna do português”, sintetiza Ana Paula Laborinho, que preside a comissão organizadora da conferência, antes de adiantar resultados e delinear objectivos.

Na Internet, o português já é a quinta língua mais usada. Nas redes sociais – Facebook e Twitter – é a terceira. Também alcançou esse ranking, terceiro mundial, nos negócios de gás e petróleo, em grande parte graças a Angola e Brasil. Entre as áreas a conquistar, estão a ciência e a diplomacia.

Pagar para falar português

Na Assembleia Geral das Nações Unidas, que começa na próxima terça-feira em Nova Iorque, os Presidentes de Moçambique, Timor-Leste e Brasil, o presidente interino da Guiné-Bissau, o vice-Presidente de Angola, o primeiro-ministro de Cabo Verde e os ministros dos Negócios Estrangeiros de Portugal e de São Tomé e Príncipe e Guiné-Bissau vão discursar em português.

Não é inédito, mas corresponde a uma tentativa de concertação, dentro da CPLP, para “incentivar o uso da língua portuguesa”, explicou o secretário executivo da CPLP, o moçambicano Murade Murargy. “Temos de ser nós a dar o exemplo.” O exemplo começa nos “responsáveis”, enfatizou.

Para tornar isso possível, na Assembleia Geral deste ano, a CPLP teve de pagar 700 dólares por dia (cerca de 550 euros), segundo informou a organização ao PÚBLICO. Os oito países participam em vários dias de Assembleia Geral mas também em reuniões paralelas.

O objectivo na ONU e outras organizações internacionais é ter o português como língua de trabalho (o que tornaria imperativa a tradução em simultâneo das intervenções) ou ir mais longe e conquistar o estatuto de língua oficial (o que faria da interpretação uma ferramenta obrigatória mas também a disponibilização de todo o material e documentação em português). O Presidente da República, Cavaco Silva, manifestou em 2010 esse desejo e desafiou os países lusófonos a incentivar o uso da língua portuguesa nas organizações internacionais, dizendo justificar-se plenamente a sua passagem a língua oficial da ONU.

Na ciência, ao lado do inglês

O caminho é longo mesmo para uma língua com 250 milhões de falantes. Para que seja considerada língua de trabalho, “é preciso que as organizações considerem que ela é suficientemente representativa”, disse ao PÚBLICO o diplomata Rui Aleixo, ex-embaixador na Líbia e actualmente no Ministério dos Negócios Estrangeiros, também presente na conferência de imprensa desta sexta-feira. E é desejável uma "acção diplomática dos países interessados".

Na União Africana, o português tem o estatuto de língua oficial justificado, no entender da organização, pela presença de cinco Estados (os países africanos de língua portuguesa). O mesmo acontece na União Europeia, que adoptou todas as línguas dos países-membros. Em organizações regionais, como a Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC) ou a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), o português também é utilizado.

A ambição de internacionalizar a língua portuguesa estende-se também à área científica, e esse será um dos temas da conferência de Outubro. “A língua de ciência a nível mundial é o inglês. Mas isso não significa que outras não se assumam como línguas em que se pode escrever o resultado da ciência realizada”, disse o professor universitário Ivo de Castro, que preside a comissão científica da conferência. Este objectivo não é pensado “contra o evidente domínio do inglês”, mas apenas porque, “ao lado do inglês, há espaço para outras línguas científicas”.

 http://www.publico.pt/cultura/noticia/o-portugues-conquistou-a-internet-e-agora-quer-ser-lingua-oficial-nas-organizacoes-internacionais-1606507

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

“É DIFÍCIL ATUAR EM OUTRA LÍNGUA”

Por: FABIANA SCHIAVON - FOLHAPRESS
Em Elysium, Wagner Moura faz sua estreia  em Hollywood. O ator, que chamou a atenção de agentes internacionais pelo sucesso da franquia Tropa de Elite, considera-se chato para aceitar um papel. “Para mim, o filme ideal tem que atingir um grande número de pessoas e ter algo a dizer”, diz o ator. “Gostei muito do Elysium por isso e também por conhecer o trabalho do diretor”, completa.

Moura também interpreta em inglês pela primeira vez em sua carreira. “É muito mais difícil atuar em outra língua. Eu domino o inglês, mas não a pronúncia correta das palavras. Tive que contar com a ajuda da Alice Braga, que está mais acostumada com isso”, ele pontua.
http://gazetaweb.globo.com/gazetadealagoas/noticia.php?c=230489

sábado, 14 de setembro de 2013

Google busca fim da barreira da língua

Nota: estas máquinas poderão um dia traduzir perfeitamente de uma idioma para outros, mas nada supera a comunicação direta entre duas ou mais pessoas. Há contatos pessoais que não podem usar máquinas...
Joao
--------------------------------------
Google busca fim da barreira da língua
Projeto de engenheiro alemão, Google Translate traduz e 'conversa' em 71 línguas
14 de setembro de 2013 | 2h 17

THOMAS SCHULZ , DER SPIEGEL, / TRADUÇÃO DE CELSO PACIORNIK - O Estado de S.Paulo
Quando escritores de ficção científica vislumbram o futuro da humanidade, algumas ideias para melhorar o mundo pipocam repetidamente. Elas incluem energia gratuita e ilimitada e espaçonaves que viajam à velocidade da luz. E incluem também a criação de computadores miniaturizados que servem como tradutores universais, eliminando todas as barreiras de língua.

O último destes sonhos, pelo menos, é algo que o Google pretende tornar realidade. A pessoa encarregada do projeto é um cientista da computação de um vilarejo perto de Erlangen, no sudoeste da Alemanha.

Leia mais

Instituto Goethe Portugueses a aprender alemão aumentaram 70%

O número de portugueses inscritos no Instituto Goethe, o principal centro de aprendizagem da língua alemã em Portugal, subiu quase 70% entre 2010 e 2012, de acordo com dados da instituição a que a Lusa teve acesso.
Portugueses a aprender alemão aumentaram 70%
 Luss
PAÍS
11:28 - 14 de Setembro de 2013 | Por Lusa

De acordo com os dados, no primeiro semestre de 2010 estavam inscritos 936 alunos no Instituto Goethe, número que subiu para 1582 no primeiro semestre deste ano.

O aumento de alunos, aliás, tem sido uma constante nos últimos anos neste instituto, sinalizando que a crise económica que Portugal atravessa e a necessidade de aprender uma língua para facilitar a integração num mercado de trabalho estrangeiro são dois fatores que os portugueses consideram importantes.

"Às vezes há expetativas pouco realistas sobre as pespetivas profissionais e o nível de competência linguística necessária para trabalhar num país de língua alemã", alerta a direção do Instituto Goethe, quando comenta os dados disponibilizados à Lusa.

"Temos muitos alunos novos que, no futuro, pretendem estudar ou trabalhar na Alemanha ou na Suíça", dois dos principais destinos da emigração nacional, acrescenta a mesma fonte, que sublinha que o próprio mercado de trabalho alemão também influencia os novos modelos de cursos, por exemplo "cursos super-intensivos para grupos profissionais específicos, como os enfermeiros".

Entre 2011 e 2013, as taxas de crescimento do número de inscritos no Instituto com o intuito de aprender alemão subiram sempre acima dos 10%, com um pico de inscrições em 2011 e 2012, anos em que, do semestre de primavera para o semestre de outono, o número aumentou sempre acima dos 20%.

Como seria de esperar, os mais interessados na aprendizagem do alemão por faixa etária são os jovens entre os 19 e os 35 anos, que representam quase 70% do total de alunos, o que explica também que os dois níveis mais básicos de aprendizagem concentrem 70% do total de alunos.

Os estudantes representam 41% dos alunos, seguido por pessoas na área profissional de Economia/Gestão (15%) e engenheiros (10%).

Por outro lado, mais de metade dos alunos estão a tirar o curso de Engenharia (25%), Direito (14%) e Ciências da Comunicação (14%), aparecendo os futuros economistas a seguir (10%).

http://www.noticiasaominuto.com/pais/106684/portugueses-a-aprender-alem%C3%A3o-aumentaram-70#.UjTGOMakqJM

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

(vídeo) Língua inglesa varia no sotaque e na gramática ao redor do mundo

13/09/2013
Professores Marco Antônio e Otacílio Barreto mostraram as diferenças.
Intercâmbio é a melhor forma de conhecer as diferentes culturas.
Do G1 PE

 Assim como o português falado no Brasil possui algumas diferenças em relação ao falado em Portugal, a língua inglesa também sofre variações ao redor do mundo. As mudanças de sotaque e de gramática do inglês britânico para o inglês americano foram abordadas pelos professores Marco Antônio e Otacílio Barreto na reportagem desta sexta-feira (13), no Projeto Educação.
Uma das melhores formas de aprender essas diferenças culturais e linguísticas é através da realização de um intercâmbio. “É uma experiência inacreditável, única. No mundo de hoje, quem não aprende pelo menos o inglês, a língua universal, não tem um futuro muito promissor”, comentou Camila Amorim, que faz parte do grupo de 24 alunos da rede estadual de ensino de Pernambuco que viajou para passar seis meses no Canadá.
Leia mais e veja o vídeo

“É possível falar russo sem conseguir ler Dostoiévski”

13/09/2013 Aleksandra Kulikova, especial para Gazeta Russa
Poliglota, tradutor, psicolinguista e apresentador de TV, Dmítri Petrov reflete sobre as dificuldades de aprender a língua russa.
“É possível falar russo sem conseguir ler Dostoiévski”

Entusiasmo pela cultura russa leva ao interesse em relação à língua, aponta Petrov Foto: PhotoXPress

Gazeta Russa: Qual papel a psicologia desempenha na hora de aprender um novo idioma?
Dmítri Petrov: A aprendizagem de línguas envolve psicologia e matemática. A matemática está representada no idioma pelo conjunto de algoritmos básicos, e o aspecto psicológico é a superação de barreiras, a sensação de conforto, liberdade e satisfação. Em muitos alunos está presente a sensação de pânico, o medo de cometer um erro. Isso, muitas vezes, atrapalha mais do que as dificuldades objetivas relacionadas com a assimilação de novas informações.
GR: Quais motivações costumam levar uma pessoa a estudar a língua russa?
DP: Tenho experiência de ensinar russo para diplomatas e empresários de diferentes países. A motivação dessas pessoas é óbvia; o idioma é indispensável para que possam desenvolver o seu o trabalho. São o tipo de pessoa para as quais a carreira ou o negócio é a coisa mais importante na vida. Além disso, foi na Rússia que eles receberam a possibilidade de se desenvolver. Mas, não é raro acontecer de uma pessoa que nunca esteve em nosso país se interessar pelo estudo da língua russa. Neste caso, via de regra, trata-se do entusiasmo em relação à cultura russa, e depois surge o interesse em relação à língua.
A propósito, muitos estrangeiros ficam surpreendidos com a vida cultural na Rússia. Eles descobrem que neste país há muitos lugares interessantes além do Kremlin de Moscou e do Hermitage, em São Petersburgo. Eles acham estranho, com razão, o fato da Rússia não desenvolver o turismo em seu território de uma maneira mais ativa.

Leia mais

Índios colombianos ganham tablets para estudar em seu idioma

11 Set 2013. Agência France Press . portal@d24am.com
Os dispositivos não precisam de conexão à internet, pois já têm em sua memória interna todo o conteúdo necessário para as aulas.

Bogotá - Três mil e seiscentos indígenas colombianos receberam tablets para dar continuidade aos estudos do ensino básico em seu idioma, depois de abandonarem a escola oficial, informou nesta quarta-feira o governo do departamento (estado) de Guainía, na selva amazônica (leste).

A iniciativa permitirá que indígenas entre 15 e 50 anos voltem a estudar, com o objetivo de promover a formação dos alunos em matemática, linguagem, ciências sociais e biologia.

Os tablets os ajudará, ainda, a aprender a ler e escrever em espanhol e nas línguas das quatro principais etnias da região: puinave, piapoco, sikuani e curripaco.

Leia mais

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Rebeldes curdos boicotarão escolas turcas para pedir ensino em seu idioma

AFP - Agence France-Presse
Publicação: 11/09/2013
Os rebeldes curdos da Turquia lançaram nesta quarta-feira um chamado para boicotar durante uma semana as escolas turcas para pedir que o ensino seja feito em seu idioma materno.
"É importante que todo nosso povo apoie um boicote de uma semana nas escolas", afirmou a direção do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) em um comunicado citado pela agência curda Firat.
O PKK anunciou ter interrompido a retirada de seus homens armados da Turquia porque considera que o governo não está cumprindo as promessas do plano acertado no final de 2012 com o líder curdo atualmente preso Abdullah Ocalan.
Entre outros, o PKK exige mudanças no código penal turco e nas leis eleitorais, além do direito de receber ensino em língua curda e ter um certo grau de autonomia regional.
http://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2013/09/11/interna_internacional,447808/rebeldes-curdos-boicotarao-escolas-turcas-para-pedir-ensino-em-seu-idioma.shtml

sábado, 7 de setembro de 2013

A moderna comunicação no século 21

É assim que funciona a comunicação no século 21... ao chegar num local onde uma pessoa de outra língua vai falar, pega-se o fone de ouvido que é distribuído para cada um. Geralmente na entrega da engenhoca, é exigido um documento para que as pessoas não "esqueçam" de devolver o aparelho anti-babel na saída. Ondas de rádio são transmitidas para cada aparelho. Os tradutores-intérpretes, que não cobram barato para este serviço alucinante já estão à postos para traduzir-interpretar... Não é confortável ficar com este aparelho no ouvido o tempo todo.
Geralmente quem escuta a palestra paga caro, porque tradutor cobra caro, e são necessários vários tradutores, porque depois de meia hora de trabalho estressante (a interpretação simultânea é exaustiva para o intérprete), ele tem que descansar, mas a palestra continua, e outro intérprete tem que estar preparado para continuar o trabalho.
Lembram que na escola, e na imprensa e nas demais instituições à serviço do poder, repete-se que o inglês é o idioma internacional e é falado em todo o mundo?   Uma boa piada isto...
No século 21 a barreira linguística ainda não foi derrubada.
Mas e o esperanto? O esperanto vai bem, obrigado.

Dilma e Obama: em inglês eles não se entendem

Dizem que o inglês é a língua internacional falada em todo o mundo... Nesta foto vemos que tudo não passa de um engodo. Os ricos podem pagar para terem tradutores e intérpretes, mas e os pobres, como fazem?ir
Na foto estão com fones de ouvido, será que é para ouvir música ou estão ouvindo a interpretação (tradução)?

O português, na China, é língua com emprego certo

7 de Setembro, 2013

Seis a sete milhões de novos licenciados saem anualmente das universidades chinesas, excedendo as ofertas de emprego disponíveis no mercado, mas Liu Jiantong não parece preocupada: "A China tem muitos negócios com o Brasil e outros países lusófonos".
Liu Jiantong, 21 anos, é finalista do curso de português da Universidade de Estudos Estrangeiros de Pequim (Beiwai), a mais antiga licenciatura em língua portuguesa da República Popular da China, criada em 1961.

Durante quase vinte anos, aquele curso foi o único do género no país e até ao final da década de 1990 surgiu apenas mais um, em Xangai. Hoje, não contando com Macau e Hong Kong, há vinte universidades chinesas que ensinam português.

"O português tem um retorno do ponto de vista do emprego, o que não acontece com outras línguas", realça o embaixador de Portugal na China, Jorge Torres-Pereira.

Liu Jiantong diz o mesmo: "Os chineses que falam português são muito procurados".

Da província de Heilongjiang, na fronteira com a Sibéria, até a tropical ilha de Hainan, no Mar do Sul da China, há uma dezena de cidades chinesas onde se pode aprender português.

O número de estudantes ultrapassou os 1.100 em 2012 e no próximo ano, só em Pequim, deverão abrir mais dois cursos.

A maioria das licenciaturas apareceu na última década, coincidindo com a criação do Fórum Macau para Cooperação Económica e Comercial entre a China e a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em 2003.

Segunda economia mundial, a seguir aos Estados Unidos, a China é hoje o maior parceiro comercial do Brasil e centenas de empresas chinesas operam em Angola.

Em 2012, a China Three Gorges pagou 2.700 milhões de euros por 21,3% do capital da EDP, tornando-se o maior accionista da eléctrica portuguesa. Foi uma das maiores aquisições feitas pela China na Europa.

A presença chinesa em Moçambique, Timor-Leste e outros países da CPLP é também cada vez mais forte.

Como todos os estudantes de português, logo na primeira aula, em Setembro de 2010, Liu Jiantong adoptou um nome português - Julieta. Tinha 18 anos.

"Gosto muito da história de Romeu e Julieta. Eu também quero encontrar o meu Romeu", disse.

Natural de Henan - província do centro da China, com cerca de 95 milhões de habitantes -, Julieta e nove colegas da Beiwai fizeram o terceiro e penúltimo ano na Universidade de Coimbra.

Foi a primeira vez que saiu da China: "Gostei muito, especialmente dos portugueses, que são muito simpáticos. O clima e a comida são óptimos".

Pelo que viu, desde Guimarães aos Açores, Portugal "tem pouca gente" e "há chineses em todas as terras do país".

O português não é uma língua fácil. Pelo contrário: "No início foi difícil, sobretudo por causa da pronúncia e da gramática".

"A maneira de pensar também é diferente", acrescenta.

Mas, três anos depois, Julieta já sabe cozinhar "bacalhau à Brás", gosta de jogar futebol e admite até poder encontrar o seu Romeu em Portugal: "É possível", diz.

Por ora, vai gozando as últimas semanas das férias de verão: "Só vou começar a procurar emprego no segundo semestre (do ano lectivo 2013/14)".

O sonho de Julieta é simples: "Gostaria de viver alguns anos fora da China, trabalhar em Portugal, Brasil ou África, e depois voltar".

Lusa/SOL

fonte: http://sol.sapo.pt/inicio/Internacional/Interior.aspx?content_id=84006

Ensino da Língua Portuguesa cada vez mais popular na Rússia

7 de Setembro, 2013

A língua de Camões não pode competir na Rússia com o inglês, chinês ou espanhol, mas é cada vez maior o número de russos que estuda português e o crescimento não é maior devido à falta de infra-estruturas e apoios.
A língua portuguesa é leccionada em várias universidades e escolas superiores de Moscovo e São Petersburgo, bem como de cidades como Kazan, Rostov no Don e Petegorsk.

Porém, o maior número de russos frequenta escolas e cursos privados em Moscovo que não têm as condições necessárias para responder à grande procura.

"Em relação às perspectivas, acho que o crescimento que temos tido até agora é para continuar. Acredito que haverá cada vez mais pessoas que vão querer aprender a língua de Camões", declarou à Lusa o português Stanislav Mikos, director da instituição social Centro Cultural Português na Rússia.

"Num futuro próximo, iremos sentir falta de professores preparados para ensinar português na Rússia. Vamos também ter problemas a nível de instalações porque, nas que temos, não cabem todos os interessados. Além disso, vamos tentar abrir centros noutras cidades", disse Mikos.

O arrendamento de salas em Moscovo é um dos mais caros do mundo, o que trava o aumento das escolas privadas existentes.

Quanto ao que leva os russos a estudar português, Mikos sublinha: "Portugal passa a ser um destino turístico cada vez mais apetecível para os russos. Graças ao turismo, o país torna-se conhecido não só em Moscovo e em S. Petersburgo, mas também na província. A razão para isso é simples: Portugal é espectacular, e isso é fácil de notar. Basta lá ir uma única vez".

"Depois acontece o mais importante: como o país é mesmo único, os russos visitam-no, apaixonam-se e já não imaginam a sua vida sem Portugal. Começam a voltar. Os que podem, compram casas, outros limitam-se a passar aí férias todos os anos. Há quem queira imigrar. No nosso fórum já há muitas pessoas que discutem a possibilidade de abrir um negócio em Portugal ou investir para conseguir autorização de residência e, posteriormente, a cidadania", acrescenta ele.

"Além disso, os russos já não precisam de visto para ir ao Brasil. Isto contribui para que o Brasil também fique mais conhecido. Bossa nova e capoeira estão na moda. Isso tudo cria uma espécie de sinergia, o que faz com que a nossa língua seja cada vez mais falada na Rússia", concluiu.

Ruslan Baskakov, director do Centro de Língua Portuguesa e de Culturas dos Países Lusófonos, quantifica as razões por detrás do estudo da língua portuguesa na Rússia: "Podemos dividir todos os alunos que estudam português ibérico em quatro grupos: 1) mulheres que têm relações com portugueses e planeiam criar famílias - 65 por cento; 2) pessoas que têm imobiliário em Portugal - 20 por cento; 3) turistas - 10 por cento e 4) os outros - 5%".

"Quanto ao aumento do número de estudantes, nota-se, mas não é tão forte. É de aproximadamente 20-30 por cento", considera o director dessa escola privada.

As autoridades e homens de negócios portugueses não souberam utilizar o facto de milhares de soviéticos terem estudado português nos anos de 1970 e de 1980 para entrarem no mercado dos países da antiga União Soviética. Talvez saibam aproveitar esta segunda oportunidade.

Lusa/SOL

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Cerca de 400 milhões de chineses não falam idioma oficial do país

Cerca de 400 milhões de chineses não falam idioma oficial do país
Agência O Globo
Por O Globo | Agência O Globo –

PEQUIM - Mais de 400 milhões de chineses não sabem falar o mandarim, idioma oficial do país, apesar das campanhas do governo. O número representa 30% da população da China. De, acordo com o porta-voz do Ministério da Educação, Xu Mei, dos 70% restantes, há uma parte que fala muito mal o mandarim.
O Partido Comunista Chinês tem promovido o mandarim por décadas como forma de unir uma nação com milhares de dialetos, muitos dos quais não são compreendidos pelos falantes de outras variantes, e inúmeros idiomas minoritários. Mas o tamanho do país e a falta de investimento na educação, principalmente nas zonas rurais, acabaram frustrando os esforços.
As autoridades admitiram que provavelmente nunca conseguirão que todo o país fale mandarim, conhecido na China pelo nome de Putonghua, que significa "língua comum", sugerindo que todos deveriam ser capazes de falá-lo.

Leia mais